Alphonse Daudet - A BORBOLETA AZUL (Editora Saraiva, Coleção Saraiva)



Título: A Borboleta Azul 
Autor (a): Alphonse Daudet [lista] 
Editora: Saraiva
Coleção: Saraiva (Nº 22) [lista]
Período de Publicação: 1950
Número de Páginas/Capítulos: 262 páginas
ISBN: -
Arte da Capa: Nico Rosso
Ilustrador (a): (Não há)
Tradutor (a): José Geraldo Vieira
Edição Original: Le Petit Chose, 1868, França, Editora Pierre-Jules Hetzel
Edições: 1ª (1950)






OUTRAS INFORMAÇÕES:

A Borboleta Azul é um romance autobiográfico do autor. Ele narra desde os primeiros anos da infância de Daudet na cidade francesa de Nînes até alcançar os primeiros sucessos como escritor em Paris.

O título original do livro, "The Petit Chose" (A Pequena Coisa), se refere ao apelido de Alphonse Daudet na infância. Na tradução brasileira, o apelido do autor foi traduzido como "Lasquinha de Gente".

Nos Estados Unidos o livro foi publicado com os títulos de "Little Good-For-Nothing" (Pequeno Bom-Pra-Nada) e "Little What's-His-Name" (Pequeno Qual-Seu-Nome?).

No Brasil, o livro foi publicado pela primeira vez em 1950 na coleção Saraiva. Após isso, houve somente mais uma edição do livro, em 1952, como volume 3 da coleção Jabuti da editora Saraiva, ou seja, em 2013 fez mais de 60 anos desde que foi publicado o livro pela última vez no Brasil.

O livro foi adaptado três vezes pelo cinema francês, todos com o título de "Le Petit Chose". A primeira adaptação foi um curta-metragem mudo dirigido por Georges Monca. A segunda adaptação foi um longa-metragem lançado em 1923 na França, com direção de André Hugon. A última adaptação, de 1938, foi dirigida por Maurice Cloche.

O livro inspirou também a música "Le Petit Chose" [ouça no Youtube], do grupo francês Tryo.


O escritor canadense Yann Martel, autor do livro As Aventuras de Pi (2001), disse que A Borboleta Azul é um livro que marcou sua infância. Ele o leu quando tinha 10 anos, e que na época o livro o fez chorar escondido no banheiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário