Reinações de Narizinho (Monteiro Lobato, 1931)


REINAÇÕES DE NARIZINHO é um livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato, direcionado para o público infanto-juvenil, publicado inicialmente em 1931.

REINAÇÕES DE NARIZINHO pode ser considerado o volume síntese da coleção infantil de Monteiro Lobato. Nele é apresentado os principais personagens do Sítio do Picapau Amarelo, espaço rural onde se desenrolam todas as mais inimagináveis aventuras vividas pelos personagens de Lobato e por todos aqueles com os quais eles interagem nos vários tomos da coleção de livros destinada ao público infantil. Seus personagens principais são uma avó adorável (Dona Benta), moradora do sítio com a neta Narizinho (a menina do nariz arrebitado) e Tia Nástasia, a cozinheira. Narizinho tem uma boneca de pano feita por Tia Nastácia que passa por uma transformação mágica e cria vida, assim como o Visconde de Sabugosa, um sabugo de milho, que ganha vida própria após várias noites esquecido entre os livros da biblioteca de Dona Benta, fato que o torna muito sábio. Há ainda o Marquês de Rabicó, um porquinho alçado a nobre para se fazer digno de casar com a boneca Emília.

Narizinho costuma sempre ir até um riacho do sítio e esse seu hábito faz com que um habitante do riacho se apaixone por ela, o Príncipe do Reino das Águas Claras, e lhe propõe casamento. O inusitado da situação a faz refletir por alguns dias, após o qual, decide aceitar. Ela parte para conhecer o reino de seu príncipe, levando consigo sua companheirinha muda: a boneca Emília. No reino, ela pede ao príncipe que recorra ao grande médico Doutor Caramujo que ajude Emília. Após tomar as pílulas receitadas pelo médico, Emília desembesta a falar sem parar e o efeito das pílulas é irreversível. Por fim, Narizinho  e Emília retornam ao sítio e Dona Benta e Tia Nastácia espantam-se ao ver a boneca que ganhou vida. Mas esse é só o começo das aventuras vividas por elas. Quando o outro neto de Dona Benta, Pedrinho, um menino que vive na cidade, vem passar as férias no sítio, eles passam a viver grandes aventuras no mundo real e no mundo do faz-de-conta.
O livro, na realidade, é uma reunião de 9 livros infantis de Monteiro Lobato publicados entre 1921 e 1931:

- A MENINA DO NARIZINHO ARREBITADO: o livro foi lançado no Natal de 1920, com ilustrações desenhadas por Voltolino. O livro  foi publicado pela editora Monteiro Lobato & Cia. [capa 1]. Essa foi a primeira obra infantil escrita por Monteiro Lobato. Ainda começando a escrever para criança, Lobato apresenta a avó de Narizinho como uma senhora triste. O nome da velhinha não é mencionado e nesse livro a boneca Emília é apenas uma boneca, ou seja, passa o livro inteiro sem dizer uma palavra. Empolgado com seu sucesso como escritor e a surpreendente saída de seus livros, Lobato resolve arriscar no livro escolar, sem dúvida o maior filão do mercado editorial. Certamente superestimando sua fama, refundiu A MENINA DO NARIZINHO ARREBITADO, encomendou uma edição de custo menor, sem gravuras coloridas, em papel jornal. Então quatro meses depois de ter publicado A MENINA DO NARIZINHO ARREBITADO, em abril de 1921, Lobato republica o livro com um novo título, NARIZINHO ARREBITADO [capa 2] e publicado pela editora Monteiro Lobato & Cia. Ele muda a personalidade da velhinha para "a avó mais feliz do mundo" e ela recebe um nome, Dona Benta. Lobato acrescenta nessa reedição histórias novas, que inclui a da pílula falante que faz com que a boneca Emília comece a falar. Porém, ao invés de imprimir 5 ou 10 mil exemplares, o que já seria uma tiragem extremamente alta para a época, num arroubo manda fazer 50500 exemplares! Assustado com os livros que encheram o escritório da "Revista Nacional", os depósitos e até o porão de sua casa, Lobato manda distribuir 500 exemplares aos colégios paulistas. Numa visita de inspeção escolar, o então governador Washington Luiz fica intrigado com o interesse das crianças em um livrinho gasto de tanto ser manuseado. Manda o secretário Alarico Silveira encontrar o autor e fazer uma compra para todos os colégios do estado. Pois foi o que fez Alarico: ligou para Lobato e disse que o Governo queria comprar NARIZINHO ARREBITADO. Quando Lobato perguntou a quantidade que ele queria, o secretário o secretário pilheriou: "Ora, mande aí uns trinta mil." No dia seguinte um aturdidoAlarico ligava para Lobato, dizendo que não tinha onde colocar tantos livros, que achava que o escritor estava blefando. E assim em poucos meses a "avalanche nasal" se esgotou, deixando um belo lucro ao intrépido editor. O imediato sucesso da obra levou o autor a prolongar as aventuras de seus personagens em muitos outros livros, girando todos ao redor do Sítio do Pica-Pau Amarelo, que são os outros livros que formam REINAÇÕES DE NARIZINHO.

- O MARQUÊS DE RABICÓ: foi publicado em 1922 pela editora Monteiro Lobato & Cia.

- O NOIVADO DE NARIZINHO: foi publicado em 1924 pela editora Monteiro Lobato & Cia. Como capítulo de REINAÇÕES DE NARIZINHO, recebeu o título de "O casamento de Narizinho".

- AVENTURAS DO PRÍNCIPE: foi publicado em 1928 pela editora Companhia Editora Nacional.

- O GATO FÉLIX: foi publicado em 1928 pela editora Companhia Editora Nacional [capa 3].

- A CARA DE CORUJA: foi publicado em 1928 pela editora Companhia Editora Nacional.

- O IRMÃO DE PINÓQUIO: foi publicado em 1929 pela editora Companhia Editora Nacional.

- O CIRCO DE ESCAVALINHO: foi publicado em 1929 pela editora Companhia Editora Nacional [capa 4]. O livro conta que após a idéiaPinóquio (no livro O IRMÃO DE PINÓQUIO), foi feito um concurso para escolher a melhor idéia, e a vencedora foi a do circo de Escavalinho. "Escavalinho" porque o "dono" do circo era Pedrinho, com o apelido dado por Emília: Pedro Malasarte Escavalinho da Silva. Como capítulo de REINAÇÕES DE NARIZINHO, recebeu o título de "O circo de cavalinhos". Além de ter sido incluído em REINAÇÕES DE NARIZINHO, essa história foi incluída num livro chamado NOVAS REINAÇÕES DE NARIZINHO, lançado pela editora Companhia Editora Nacional em 1933, dois anos após a publicação de REINAÇÕES DE NARIZINHO. Infelizmente, é raro encontrar informações sobre NOVAS REINAÇÕES DE NARIZINHO.

- A PENA DE PAPAGAIO: foi publicado em 1930 pela editora Companhia Editora Nacional.

- O PÓ DE PIRLIMPIMPIM: foi publicado em 1931 pela editora Companhia Editora Nacional [capa 5].

O livro REINAÇÕES DE NARIZINHO foi publicado inicialmente pela editora Companhia Editora Nacional em 1931, com ilustrações desenhadas por Jean G. Villin [capa 6]. A partir de 1944 a editora Brasiliense passou a publicar o livro, lançando-o em várias edições até 2006 [capa 7: decada de 1950] [capa 8: década de 1960] [capa 9: década de 1970] [capa 10: década de 1970, obras infantis completa] [capa 11: década de 1980] [capa 12: início da década de 1990] [capa 13: final da década de 1990 à 2006]. Em 1988, a editora Círculo do Livro publicou a obra infantil completa de Monteiro Lobato, incluindo REINAÇÕES DE NARIZINHO [capa 14]. Em 2007, o livro passou a ser publicado pela editora Globo, que o publicou em dois volumes [capa 15: volume 1] [capa 16: volume 2], com ilustrações desenhadas por Paulo Borges.

Nenhum comentário:

Postar um comentário