Walter Scott - LÚCIA DE LAMMERMOOR (Editora Saraiva, Coleção Saraiva)



Título: Lúcia de Lammermoor 
Autor (a): Walter Scott [lista]
Editora: Saraiva
Coleção: Saraiva (Nº 57) [lista]
Período de Publicação: 1953
Número de Páginas/Capítulos: 191 páginas
ISBN: -
Arte da Capa: Nico Rosso
Ilustrador (a): (Não há)
Tradutor (a): Hamilcar de Garcia
Edição Original: The Bride of Lammermoor, 1819, Escócia
Edições: 1ª (1953)





OUTRAS INFORMAÇÕES

O romance histórico Lúcia de Lammermoor (no original: The Bride of Lammermoor, A Noiva de Lammermoor) conta a trágica história de amor entre a jovem Lucie Ashton e o inimigo de sua família, Edgar Ravenswood. Quando Edgar viaja da Escócia para a França, a mãe de Lucie esconde as cartas enviadas por Edgar para Lucie, convencendo a filha de que o jovem a esqueceu. Lady Ashton está determinada a casar a filha com o rico Arthur Bucklaw, com quem por fim fica noiva. Um dia antes do casamento, Edgar retorna, e ao ver que Lucie está noiva, não espera explicação da moça. O casamento ocorre, e na noite de núpcias, Lucie esfaqueia o marido, que sobrevive. Enloquecida, Lucie morre. Convencido de que Edgar é o responsável pela morte da garota, seu irmão o insiste que eles enfrentem em um duelo. O romance é ambientado em Lammermuir Hills, no sudeste da Escócia.

Apesar de ser uma história fictícia, o livro baseia-se em um fato real. Janet Dalrymple, filha mais velha de James Dalrymple (Primeiro Visconde de Stair) e Margaret Ross of Balneil. Quando jovem, Janet prometeu secretamente para Archilbald (Terceiro Lorde de Rutherfurd) ser sua esposa. Quando outro pretendente, David Dunbar (herdeiro de Sir David Dunbar do Castelo de Baldoon), apareceu, a mãe de Janet descobriu a promessa da filha, mas mesmo assim a obrigou a casar com Dunbar, cujo casamento ocorreu em 24 de agosto de 1669. Enquanto os convidados dançavam na festa de recepção, o casal retirou-se para o quarto de dormir. Quando os convidados escutaram um grito do quarto, arrombaram a porta e encontraram Dunbar esfaqueado. Janet foi encontrada num canto do quarto apenas dizendo "toma teu galante noivo". Janet morreu, aparentemente enloquecida, em 12 de setembro. Dubar se recuperou dos ferimentos, mas recusou a explicar o que ocorreu no quarto. Surgiu duas versões da história: que Janet esfaqueou seu marido; ou que Archilbald se escondeu no quarto, atacou seu rival e depois fugiu pela janela. Dunbar casou-se novamente em 1674 com Lady Eleanor Montgomerie, filha do Conde de Eglinton, vindo a falecer em 28 de março de 1682, depois de cair de um cavalo. Já Archilbald faleceu em 1685, sem deixar filhos.

Publicado anonimamente, a primeira edição do livro alega que a história narrada é baseada em tradição oral, recolhida por um tal de "Peter Pattiseon" e posteriormente publicado pela editora "Jedediah Cleishbotham". Somente a partir da edição de 1830, Walter Scott assume a autoria da obra e em um prefácio fala sobre suas fontes reais. A primeira edição do livro coloca a data dos no ano de 1700. Já a edição de 1830, altera a data para o reinado da Rainha Ana após o Tratado de União de 1707.

Ana (1665-1714), da Casa de Stuart, reinou como Rainha da Inglaterra, Escócia e Irlanda de 8 de março de 1702 até 1 de maio de 1707, quando assinou o Tratado de União, unificando a Inglaterra e a Escócia em um único estado soberano, o Reino da Grã-Bretanha. A partir de então, ela passou a ser a Rainha da Grã Bretanha e Irlanda até sua morte em 1 de agosto de 1714, aos 49 anos de idade. Como Ana não deixou herdeiro, foi sucedida por Jorge I, filho de Sofia de Hanôver (neta de Jaime I e sobrinha de Carlos I, que seria a próxima Rainha, mas faleceu dois meses antes de Ana) iniciando o reinado da Casa de Hanôver na Grã-Bretanha.

O livro foi traduzido para vários outros idiomas, entre eles, o francês (La Fiancée de Lammermoor), italiano (La Sposa di Lammermoor), polonês (Narzeczona z Lammermoor), alemão (Die Braut von Lammermoor) e espanhol (La Novia de Lammermoor / La Pastora de Lammermoor / La Desposada).

No Brasil, o livro foi publicado em 1953 pela editora Saraiva na coleção "Saraiva" e em 1964 pela editora Paulinas na coleção "A Primavera".

O romance foi adaptado como ópera em 3 atos, “Lucia di Lammermoor”, em 1835 pelo italiano Gaetano Donizetti (1797-1848).

O livro foi adaptado duas vezes pelo cinema americano no início do século XX como curta-metragens mudos, com o título de "The Bride of Lammermoor": em 1909 (direção de J. Stuart Blackton) e em 1914. O cinema italiano produziu o curta "Lucia di Lammermoor" em 1910 (direção de Mario Caserini) e o cinema inglês o curta "The Bride of Lammermoor" em 1922 (direção de Challis Sanderson).

Além disso, filmagens de várias montagens da ópera de Gaetano Donizetti foram exibidas em especiais de TV pelo mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário