Biblioteca Pedagógica Brasileira - Série 1 - Literatura Infantil (Companhia Editora Nacional)


Com a quebra da Bolsa de Nova York em 1929, o escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948) perdeu todas as suas ações, levando-o à ser sustentado apenas por seu salário de escritor, fazendo-o vender sua parte da Companhia Editora Nacional. Com o retorno ao Brasil em 1931 (ele vivia em Nova York desde 1927), Lobato decidiu “ressuscitar literariamente”. É com essa intenção que começou a revisar e alterar suas obras infantis escritas até então para criar seu fabuloso mundo, o Sítio do Picapau Amarelo.

Em carta enviada a Godofredo Rangel, em 1931, ele escreveu sobre suas intenções: “Tenho em composição um livro absolutamente original, Reinações de Narizinho – consolidação num volume grande dessas aventuras que tenho publicado por partes, com melhorias, aumentos e unificações num todo harmônico. Trezentas páginas em corpo 10 – livro para ler, não para ver, como esses de papel grosso e mais desenhado do que texto. Estou gostando tanto, que brigarei com que não gostar”.

Surgiu assim As Reinações de Narizinho, o “puxa-fila” que abrirá definitivamente as portas para seu fantástico mundo infantil de aventuras e fantasia. Reinações de Narizinho é uma reunião em volume único de 11 títulos diferentes publicados por Lobato entre 1920 e 1931, que passaram a serem os capítulos do novo livro (leia a postagem “Os primeiros livros infantis de Monteiro Lobato”). Os três primeiros capítulos equivalem aos três livros que Lobato escreveu em 1921 e 1922, ou seja, o capítulo ”Narizinho Arrebitado” é a remodelação do livro A Menina do Narizinho Arrebitado (1920); o capítulo “Sítio do Picapau Amarelo” refere-se ao acréscimo que ele realizou em A Menina do Narizinho Arrebitado quando o relançou em 1921 com o título Narizinho Arrebitado; e o terceiro capítulo, “O Marquês de Rabicó”, equivalendo ao livro de 1922, O Marquez de Rabicó.  Os 9 capítulos restantes equivalem aos outros títulos lançados por Lobato entre 1928 e 1931, enquanto ele vivia em Nova York: O Noivado de Narizinho (1928, capítulo retitulado como “O Casamento de Narizinho), O Gato Félix (1928), Aventuras do Príncipe (1928), A Cara de Coruja (1928), O Irmão de Pinocchio (1929), O Circo de Escavalinho (1929, capítulo retitulado como “O Circo de Cavalinhos”), A Pena do Papagaio (1930) e O Pó de Pirlimpimpim (1931).

Para lançar As Reinações de Narizinho, e ainda acrescentar em seu catálogo os próximos livros infantis que Lobato pretendia escrever, a Companhia Editora Nacional criou em 1931 a coleção Biblioteca Pedagógica Brasileira (BPB), recebendo o subtítulo de “Série 1: Literatura Infantil”, já que a editora criou outras 4 subdivisões da coleção (leia na Nota 1 no final dessa postagem, quais foram cinco séries que compôs a Biblioteca Pedagógica Brasileira). Até 1944-1945, a coleção lançou todos dos livros escritos por Monteiro Lobato para o público infantil até então (exclui-se dessa relação Os Doze Trabalhos de Hércules e Histórias Diversas). Também foram editadas na coleção traduções e adaptações feitas por Lobato de livros infantis estrangeiros, além de dois títulos de Viriato Correia e um de poesias de Murilo Araújo. 

A maioria dos livros publicados na coleção foram editados pela primeira vez no Brasil no momento em que foram integrados à coleção, excluindo dessa regra O Saci (lançado inicialmente em 1921, apesar de ter sido totalmente alterado e aumentado para entrar no catálogo da coleção) e Peter Pan (de Monteiro Lobato, lançado inicialmente em 1930). Todos os livros, após entrarem no catálogo, continuaram a ser publicados em outras edições na coleção até 1944-1945.

Conheça algumas das capas dos 33 títulos (infelizmente não encontrei todas) que compõe a Biblioteca Pedagógica Brasileira – Série 1: Literatura Infantil. Para visualizá-las em tamanho maior (quando disponível), basta clicar sobre a capa desejada.

1 – AS REINAÇÕES DE NARIZINHO 

Subtítulo: Contendo todas as aventuras de Narizinho, Pedrinho, Emília, Rabicó, o Visconde de Sabugosa e o Burro Falante no Sítio de Dona Benta e as mais aventuras pelos mundos maravilhosos.

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato, lançado em 1931, que reúne num único volume, conforme explicado na introdução da postagem, onze livros do escritor publicados entre 1920 e 1931.

O livro conta a história de Narizinho, uma menina órfã que vive no Sítio do Picapau Amarelo com sua avó, Dona Benta, e Tia Nastácia, a cozinheira. Certo dio, a garota é convidada pelo Príncipe Escamado a visitar o Reino das Águas Claras. Ela aceita o convite e leva junto sua boneca de pano, Emília, que toma uma pílula e começa a falar. Quando seu primo da cidade, Pedrinho, vem passar as férias no Sítio do Picapau Amarelo, eles se divertem fazendo um boneco de sabugo de milho, o nobre Visconde de Sabugosa, para ser o pai do leitão Rabicó, para assim convencer a boneca Emília a se casar com o leitãozinho e se tornar uma marquesa, a Marquesa de Rabicó. Mas as reinações não param por aí... Emília, Narizinho e Pedrinho também recebem a visita de personagens como Cinderela, Branca de Neve e o Pequeno Polegar. Também chega ao Sítio o Peninha, garoto invisível que trouxe no bolso algo que mudou a rotina dos netos de Dona Benta, o incrível pó de pirlimpimpim. Com esse pó mágico a turma do Sítio viaja para o Mundo das Maravilhas. Lá eles conhecem os fabulistas Esopo e La Fontaine e resgatam o Burro Falante que também vai morar no Sítio.

A capa e as ilustrações do livro foram desenhadas por Jean G. Villin (Jean Gabriel Villin), francês naturalizado brasileiro, nascido em 28 de maio de 1906, na cidade de Amiens. Aos 19 anos, em junho de 1925, mudou-se para o Brasil, para trabalhar como desenhista numa fábrica da cidade paulista de Porto Ferreira. Lá, casou-se com a professora Nalzira Pinto Cortez, com quem teve quatro filhas. Faleceu na cidade em 5 de outubro de 1979.

Em 1933, a segunda edição do livro foi lançada na coleção dividida em dois volumes: Reinações de Narizinho (volume 1 da coleção) e Novas Reinações de Narizinho (volume 11 da coleção).

capa de 1931 (1ª edição, Jean G. Villin)


2 – ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS 

Tradução e adaptação de Monteiro Lobato para o livro Alice’s Adventures in Wonderland (1865), do escritor inglês Lewis Carroll (1832-1898), publicado pela primeira vez no Brasil nessa coleção em 1931.

O volume 8 da coleção, Alice no País do Espelho, é uma continuação desse livro.

capa de 1931 (1ª edição)



capa de 1944 (7ª edição)

3 - VIAGEM AO CÉU
 
Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato, lançado em 1932. 

Em Viagem ao Céu, Monteiro Lobato nos traz novas aventuras dos personagens do Sítio do Picapau Amarelo, apresentados em Reinações de Narizinho. Dessa vez, Pedrinho, Narizinho, Emília, o Burro Falante e até Tia Nastácia embarcam numa viagem pelo espaço sideral usando o pó de pirlimpimpim. Na Lua, eles encontram São Jorge e o dragão. Além disso, passeiam por Marte, pela Via Láctea, andam na cauda de um cometa e patinam nos anéis de Saturno. 

As capas e ilustrações das duas primeiras edições (1932 e 1934) foram desenhadas por Jean G. Villin. Já as edições restantes (1937, 1943 e 1945) tiveram suas capas e ilustrações desenhadas por J. U. Campos (Jurandir Ubirajara Campos), paulistano nascido em 7 de fevereiro de 1903, que estudou pintura com Cesareo Bernardo de Quirós e casou-se com a filha de Monteiro Lobato, Marta, com quem teve uma filha (Joyce). Incentivado pelo sogro, passou-se a dedicar exclusivamente à pintura a partir de 1941, mas antes disso ilustrou vários livros para Lobato e para a coleção Terramarear da Companhia Editora Nacional. Faleceu em 21 de junho de 1972, na cidade de São Paulo.

capa de 1932 (1ª edição, Jean G. Villin)
capa de 1934 (2ª edição, Jean G. Villin)


capa de 1937 (3ª edição, J. U. Campos)
capa de 1943 (4ª edição, J. U. Campos)


capa de 1943 (5ª edição, J. U. Campos)



capa de 1945 (6ª edição, J. U. Campos)


4 – O SACI 

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato, publicado originalmente em 1921. 

Para o lançamento na Biblioteca Pedagógica Brasileira, em 1932 (4ª edição), o livro foi totalmente reformulado e ampliado, passando das 38 páginas da edição original de 1921 para 109 páginas nessa edição. Enquanto a edição original trazia os mitos do saci, do lobisomem, da cuca e da iara, a edição reformulada acrescentou, além de capítulos sobre animais e plantas da fauna e flora brasileira, os mitos do cauré, do uirapuru, do urutau, do jurupari, do curupira, do boitatá, do neguinho do pastoreio, da mula sem cabeça, da porca dos sete leitões e do caipora. 

O livro narra novas aventuras de Pedrinho, o neto de Dona Benta, durante mais uma de suas férias no Sítio do Picapau Amarelo. Desta vez, ele decide caçar um saci, mas acaba descobrindo que sua prima Narizinho foi raptada pela Cuca.

As capas e ilustrações das edições do livro foram desenhadas Jean G. Villin (1932) J. U. Campos (5ª a 9ª edições, em 1936, 1938, 1942 e 1944).

capa de 1932 (4ª edição, Jean G. Villin)


capa de 1942 (7ª edição, J. U. Campos)
 
5 – AVENTURAS DE HANS STADEN 

Subtítulo: O homem que naufragou nas costas do Brasil, em 1549, e esteve oito meses prisioneiro dos índios tupinambás; narradas por Dona Benta aos seus netos Narizinho e Pedrinho e redigidas por Monteiro Lobato

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato, publicado originalmente em 1927. 

O livro é uma adaptação para o público infantil (com acréscimo de situações com os personagens do Sítio do Picapau Amarelo) de Warhaftige Historia und beschreibung eyner Landtschafft der Wilden Nacketen, Grimmigen Menschfresser-Leuthen in der Newenwelt America gelegen (1557), do escritor alemão Hans Staden (1525-1579). O livro alemão foi traduzido por Monteiro Lobato e publicado em 1925 com o título Meu Captiveiro entre os Selvagens do Brasil

Pela Biblioteca Pedagógica Brasileira, foi lançado em 1932, em sua 4ª edição, e continuou sendo lançado na coleção até 1944, quando alcançou sua 9ª edição.

No livro, a história de Hans Staden, o jovem alemão de temperamento aventureiro que desembarcou no Brasil e foi capturado pelos índios, é narrada por Dona Benta a seus netos. A avó relata a saga do viajante alemão, aprisionado durante 9 meses pelos canibais.

As capas e ilustrações foram desenhadas pelo haitiano André Le Blanc, nascido em 16 de janeiro de 1921, que residiu e trabalhou durante anos no Brasil e nos Estados Unidos, onde faleceu em 21 de dezembro de 1998.

capa de 1932 (4ª edição, André Le Blanc)


 6 – CONTOS DE ANDERSEN


Tradução e adaptação, realizada por Monteiro Lobato, de contos de fadas do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen (1805-1875), publicado em 1932. 

Os contos que compõe a antologia são: “A Sereiazinha” (A Pequena Sereia), “O Isqueiro Mágico”, “O Patinho Feio”, “A Pequena Polegar” (A Polegarzinha) e “Os Cisnes Selvagens”. 

Foi lançado um segundo volume de outros contos do escritor em 1934, no volume 15 da coleção, intitulado Novos Contos de Andersen.
capa de 1932
capa da década de 1940



 7 – CONTOS DE GRIMM


Tradução e adaptação, realizada por Monteiro Lobato, de contos de fadas escritos pelos irmãos alemães Jacob Grimm (1785-1863) e Wilhelm Grimm (1786-1859), publicado em 1932. 

Os contos que compõe a antologia são: “A Menina da Capinha Vermelha”, “Cinderela”, “O Ganso Dourado”, “O Príncipe Sapo”, “As Enteadas e os Anões”, “Branca de Neve e Rosa Vermelha”, “Branca de Neve”, “O Alfaiate Valentão”, “Hansel e Grethel” (João e Maria), “Os Músicos de Bremem” e “História de Anões”. 

Foi lançado um segundo volume de outros contos dos escritores em 1934, no volume 16 da coleção, intitulado Novos Contos de Grimm

capa de 1932




8 – ALICE NO PAÍS DO ESPELHO


Tradução de Monteiro Lobato para o livro Through the Looking-glass and What Alice Found There (1871), do escritor inglês Lewis Carroll (1832-1898), publicado pela primeira vez no Brasil nessa coleção em 1933. 

Alice no País do Espelho é uma continuação de Alice no País das Maravilhas, volume 2 dessa coleção. 

capa de 1933


 9 – AS CAÇADAS DE PEDRINHO


Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato, publicado originalmente em 1924, com o título A Caçada da Onça

O livro foi totalmente reformulado e ampliado para integrar a coleção, passando das 35 páginas da edição original de 1924 para 112 páginas nessa edição. O lançamento ocorreu em 1933.

Nesse livro, Pedrinho e uma expedição formada por Narizinho, Emília, Rabicó e Visconde de Sabugosa vão à caça de uma onça-pintada escondida na mata fechada do Capoeirão de Taquaraçus perto do Sítio do Picapau Amarelo. Com muita valentia e um pouco de medo, a turma arma a maior confusão entre os animais silvestres e se aventura numa caçada arriscada.

Em A Caçada da Onça era narrada apenas essa caçada ao animal, já nessa nova edição, retitulada de As Caçadas de Pedrinho foram acrescentados a invasão do Sítio do Picapau Amarelo pelos animais da mata para vingar a morte da onça e a fuga de um rinoceronte do circo e sua posterior aparição no Sítio. 

A capa e as ilustrações foram desenhadas por de J. U. Campos. 

10 – HISTÓRIA DO MUNDO PARA AS CRIANÇAS


Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato, publicado em 1933. 

O livro é uma adaptação (com acréscimo de situações com os personagens do Sítio do Picapau Amarelo) de Child’s History of the World (1924), do escritor americano V. M. Hillyer (1875-1931). A tradução do livro de Hillyer (por Godofredo Rangel) foi lançada no Brasil pela Companhia Editora Nacional com o título Pequena História do Mundo para Crianças

A capa foi desenhada por J. U. Campos, e o livro contém ilustrações desenhadas por J. U. Campos e pelos ilustradores da obra original americano, C. M. Boog e M. S. Whright. 






11 – NOVAS REINAÇÕES DE NARIZINHO


Subtítulo: Continuação de Reinações de Narizinho. Contendo todas as aventuras de Narizinho, Pedrinho, Emília, Rabicó, o Visconde de Sabugosa e o Burro Falante no Sítio de Dona Benta e as mais aventuras pelos mundos maravilhosos.


Apesar de o subtítulo dizer que se trata de uma continuação de Reinações de Narizinho, na realidade ele é composto dos 6 últimos capítulos do volume 1 da coleção, As Reinações de Narizinho, que nas edições lançadas em 1933, foi dividido em dois volumes diferentes: Reinações de Narizinho (volume 1, 130 páginas, contendo os 5 primeiros capítulos) e Novas Reinações de Narizinho (volume 11, 146 páginas, contendo os 6 últimos capítulos).  As capas e ilustrações dos dois volumes foram desenhadas por Jean G. Villin.


Reinações de Narizinho
Novas Reinações de Narizinho












 





A partir da 4ª edição, de 1934, o livro voltou a ser publicado novamente como volume único, e com o título Reinações de Narizinho (256 páginas).

Na Companhia Editora Nacional, o livro continuou a ser publicado até a 11ª edição (1945), e as capas das edições da década de 1940 foram desenhadas por J. U. Campos.


capa de 1943 (J. U. Campos)

12 – AVENTURAS DO BARÃO DE MÜNCHHAUSEN

Tradução de Monteiro Lobato para o livro Baron Munchausen’s Narrative of His Marvellous Travels and Campaigns in Russia (1785, também conhecido como The Surprising Adventures of Baron Munchausen), do escritor alemão Rudolf Erich Raspe (1736-1794). Integrado ao catálogo da coleção em 1934.


 13 – PINOCCHIO

Tradução de Monteiro Lobato para o livro Le Avventure di Pinocchio (1883), do escritor italiano Carlo Collodi (1826-1890). Integrado ao catálogo da coleção em 1934. 201 páginas.



 14 – EMÍLIA NO PAÍS DA GRAMÁTICA

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). Capa e ilustrações de Belmonte (1896-1947). Integrado ao catálogo da coleção em 1934. 172 páginas.



 15 – NOVOS CONTOS DE ANDERSEN

Tradução e adaptação, realizada por Monteiro Lobato, de contos de fadas do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen (1805-1875). Antologia de contos complementando ao volume 6 da coleção, Contos de Andersen. Integrado ao catálogo da coleção em 1934.




16 – NOVOS CONTOS DE GRIMM

Tradução e adaptação, realizada por Monteiro Lobato, de contos de fadas escritos pelos irmãos alemães Jacob Grimm (1785-1863) e Wilhelm Grimm (1786-1859). Antologia de contos complementando o volume 7 da coleção, Contos de Grimm. Integrado ao catálogo da coleção em 1934. 106 páginas.



17 – CONTOS DE FADAS

Tradução e adaptação, realizada por Monteiro Lobato, de contos de fadas do escritor francês Charles Perrault (1628-1703). Integrado ao catálogo da coleção em 1934. 87 páginas.



18 – HISTÓRIA DO BRASIL PARA CRIANÇAS

Livro do escritor brasileiro Viriato Correia (1884-1967). Integrado ao catálogo da coleção em 1934. 265 páginas.


 19 – ROBINSON CRUSOÉ

Subtítulo: Aventuras dum naufrágio perdido numa ilha deserta, escritas em 1979 por Daniel Dafoe.

Tradução e adaptação para crianças de Monteiro Lobato para o livro Robinson Crusoe (1719) do escritor inglês Daniel Dafoe (1660-1731). O título original completo do livro é The Life and Strange Surprizing Adventures of Robinson Crusoe, of York, Mariner: Who Lived Eight and Twenty Years, All Alone in an Un-inhabited Island on the Coast of America, Near the Mouth of the Great River of Oroonoque; Having Been Cast on Shore by Shipwreck, Wherein All the Men Perished But Himself. With An Account How He Was at Last as strangely Deliver'd by Pirates. Integrado ao catálogo da coleção em 1934. 124 páginas.



 20 – PETER PAN

Subtítulo: A história do menino que não queria crescer, contada por Dona Benta.

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). O livro é uma adaptação (com acréscimo de situações com os personagens do Sítio do Picapau Amarelo) de Peter and Wendy (1911), do escritor escocês J. M. Barrie (1860-1937). Além dessa adaptação, foram lançadas no Brasil várias outras traduções e adaptações desse livro. Capa e ilustrações de J. U. Campos (1912-1972). Integrado ao catálogo da coleção em 1935. 104 páginas.



 21 – ARIMÉTICA DA EMÍLIA

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). Foi lançado posteriormente com o título Aritmética da Emília, mas no final do livro a própria narrativa fornece o motivo do título original: “Emília acabava de fazer uma das suas célebres maroteiras. Fora ao escritórinho do Visconde e, vendo lá o manuscrito da ARITMÉTICA DO VISCONDE, cortou o T da palavra Aritmética e substituiu o nome do autor pelo seu. Eis a explicação da ARITMÉTICA DO VISCONDE ter saído com o frontispício totalmente errado – sem o T e sem o nome do verdadeiro dono...” Capa e ilustrações de Belmonte (1896-1947). Integrado ao catálogo da coleção em 1935. 164 páginas.  

 22 – GEOGRAFIA DE DONA BENTA

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). O livro é uma adaptação (com acréscimo de situações com os personagens do Sítio do Picapau Amarelo) de Van Loon’s Geography: The story of the World We Live In (1932), do escritor americano holandês Hendrik van Loon (1882-1944). Capa e ilustrações de Belmonte (1896-1947). Integrado ao catálogo da coleção em 1935. 295 páginas.
contracapa
 

23 – HISTÓRIA DAS INVENÇÕES

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). O livro é uma adaptação (com acréscimo de situações com os personagens do Sítio do Picapau Amarelo) de Man the Miracle Maker (1928, também conhecido como The Story of Inventions: Man, the Miracle Maker), do escritor holandês Hendrik van Loon (1882-1944). A tradução do livro (por Hemengarda Leme) foi lançada no Brasil com o título História das Invenções – O Homem, o Fazedor de Milagres. Capa e ilustrações de J. U. Campos (1912-1972). Integrado ao catálogo da coleção em 1935. 152 páginas.



24 – MEU TORRÃO

Subtítulo: Contos da História Pátria.

Livro do escritor brasileiro Viriato Correia (1884-1967). Capa e ilustrações de Belmonte (1896-1947). Integrado ao catálogo da coleção em 1935. 117 páginas.



25 – D. QUIXOTE DAS CRIANÇAS

Subtítulo: No qual D. Benta narra as divertidas aventuras do cavaleiro manchego e também se contam os sucessos ocorridos durante os serões.

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). O livro é uma adaptação (com acréscimo de situações com os personagens do Sítio do Picapau Amarelo) de El Ingenioso Hidalgo Don Qvixote de La Mancha (1605, também conhecido como Don Quijote de La Mancha), do escritor espanhol Miguel de Cervantes (1547-1616). Além dessa adaptação, foram lançadas no Brasil várias outras traduções e adaptações desse livro. Capa e ilustrações de J. U. Campos (1912-1972). Integrado ao catálogo da coleção em 1936.



26 – MEMÓRIAS DA EMÍLIA

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). Capa e ilustrações de Belmonte (1896-1947). Integrado ao catálogo da coleção em 1936. 139 páginas.



27 – O POÇO DO VISCONDE

Subtítulo: Geologia para as Crianças.

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). Capa e ilustrações de Belmonte (1896-1947). Integrado ao catálogo da coleção em 1937. 180 páginas.




28 – SERÕES DE DONA BENTA

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). Capa e ilustrações de J. U. Campos (1912-1972). Integrado ao catálogo da coleção em 1937. 161 páginas. 



29 – HISTÓRIAS DE TIA NASTÁCIA

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). Capa de Raphael de Lamo. Integrado ao catálogo da coleção em 1937. 



30 –  A ESTRELA AZUL

Subtítulo: Poemas para as Crianças

Livro de poesias do escritor brasileiro Murilo Araújo (1894-1980). Integrado ao catálogo da coleção em 1937.



31 – O PICAPAU AMARELO

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). Integrado ao catálogo da coleção em 1939.



32 – O MINOTAURO

Subtítulo: Maravilhosas aventuras dos netos de Dona Benta na Grécia Antiga.

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). Capa de Belmonte e ilustrações de Belmonte (1896-1947) e Rodolpho. Integrado ao catálogo da coleção em 1939.


33 – A CHAVE DO TAMANHO

Subtítulo: A maior reinação do mundo, ou, História da maior reinação do mundo onde Emília reduz temporariamente o tamanho das criaturas humanas.

Livro do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948). Integrado ao catálogo da coleção em 1942. 




Nota 1: As cinco séries que compõe a Biblioteca Pedagógica Brasileira, idealizada por Fernando Azevedo (1894-1974), são: Série 1 - Literatura Infantil, Série 2 - Livros Didáticos, Série 3 - Atualidades Pedagógicas, Série 4 - Iniciação Científica e Série 5 – Brasiliana.

Nota 2: Os títulos que pertencem ao catálogo atual dos livros infantis (da série Sítio do Picapau Amarelo) de Monteiro Lobato que não foram publicados na Biblioteca Pedagógica Brasileira Série 1 – Literatura Infantil são: Fábulas (publicado originalmente em 1922, o seu formato atual que contém, além das fábulas, situações vividas pelos personagens do Sítio do Picapau Amarelo, só iniciaram a partir da 8ª Edição em 1943, ou seja, durante a formação da coleção, Fábulas ainda não pertencia ao catálogo de livros da série do Sítio); A Reforma da Natureza (lançado em 1941 como dois livros distintos, A Reforma da Natureza e O Espanto das Gentes, ambos os livros foram integrados ao catálogo de outra coleção da Companhia Editora Nacional, a coleção Livros Infantis) e Os Doze Trabalhos de Hércules (lançado no final de 1944, quando Monteiro Lobato já havia transferido seu catálogo para a editora Brasiliense, o volume hoje conhecido por esse nome foi lançado como 12 títulos diferentes, de em média 100 páginas cada, na série Os Doze Trabalhos de Hércules).